O que é o implante contraceptivo?

Pode-se obter contracepção por meio de dispositivo contendo etonogestrel, um tipo de progestogênio, a ser implantado abaixo da derme. O Implanon, marca de implante contraceptivo mais comercializada no Brasil, contém 68mg de etonogestrel que é liberado ao longo de 3 anos.

O implante contraceptivo consiste em uma haste plástica do tamanho de um palito de fósforo que libera etonogestrel no corpo quando inserido. 

Como o implante contraceptivo funciona?

O progestogênio liberado pelo implante bloqueia a ovulação. Além disso, ele torna  o muco cervical mais espesso, o que dificulta a entrada e mobilidade do espermatozoide no útero, e o endométrio (a camada interna do útero) fica mais fino.

Quais são os benefícios do implante contraceptivo?

O Implante tem os seguintes benefícios:

- É fácil de usar. Uma vez inserido, a paciente não tem que fazer mais nada para prevenir uma gravidez.

- Ninguém saberá que você está usando um método contraceptivo, pois o implante fica debaixo da pele.

- O implante contraceptivo pode ser inserido imediatamente após um abortamento, após parto, ou durante a amamentação.

- Não interfere com a relação sexual nem com a rotina diária.

- Quase todas as mulheres podem usar o implante, pois poucas condições clínicas contraindicam seu uso.

- O implante vai reduzir a cólica menstrual. Se a paciente quiser engravidar ou simplesmente suspender o uso, o implante pode ser removido a qualquer momento.

Como o implante contraceptivo é inserido?

O ginecologista irá inseri-lo na face interna do braço. No procedimento, é feita anestesia local em uma pequena área do braço para inserir o implante sob a pele. O procedimento é rápido e depois, a paciente pode palpar o implante no local inserido.

Como o implante contraceptivo é removido?

Quando a paciente desejar suspender o uso do implante, ela deve informar seu médico. Será feita, então, uma pequena anestesia local na região onde está o implante. Uma pequena incisão é feita na pele. O procedimento de retirada dura poucos minutos. 

Como se sabe, o implante proporciona contracepção por 3 anos. Portanto, ao final deste período, o dispositivo deve ser removido, mas outro implante pode ser colocado na mesma incisão se a paciente desejar manter contracepção com esse método.

Quais são os possíveis efeitos colaterais do implante contraceptivo?

Assim como o DIU, os implantes podem causar alterações menstruais. Grande parte das optantes do implante observarão uma redução acentuada do fluxo menstrual, sendo que muitas entrarão em amenorréia (ausência de menstruação). Pode ocorrer sangramento menstrual imprevisto, em pequena quantidade, o que se chama de spotting ou escape. As pacientes que não toleram sangramentos imprevistos, ainda que em pequena quantidade,  devem optar por outro método. Entretanto, raramente o escape é permanente, bastando que a paciente procure seu ginecologista para orientação e assistência, pois trata-se de um evento totalmente manejável clinicamente e não significa falha contraceptiva. Outros possíveis efeitos colaterais relatados são dor de cabeça, aumento da sensibilidade nas mamas nos primeiros meses de uso e acne.

Fonte: 1.Ginecologia de Williams - 2ed. Por Barbara L. Hoffman, John O. Schorge, Lisa M. Halvorson, Karen D. Bradshaw, F. Gary Cunningham

2. The American College of Obstetrician and Gynecologists. Women's Health Care Physicians. www.acog.org/Patients/FAQs/Long-Acting Reversible Contraception: Intrauterine Device and Implant