Contraindicações para o uso de DIU de cobre:

1- Gravidez ou suspeita de gravidez

2- Anormalidades uterinas que resultem em distorção de sua cavidade

3- Doença inflamatória pélvica (DIP) ou comportamento atual sugerindo maior risco de DIP

4- Endometrite pós-parto ou aborto infectado nos últimos 3 meses

5- Câncer de útero ou do colo uterino diagnosticado ou suspeitado ou colpocitológico alterado

6- Sangramento genital de etiologia desconhecida

7- Cervicite mucopurulenta

8- Doença de Wilson

9- Alergia a qualquer componente do DIU de cobre

10- DIU previamente instalado e que não tenha sido removido

Contra indicações  ao uso de DIU de cobre segundo o fabricante.

Quais são os benefícios do dispositivo intrauterino (DIU)?

Os dispositivos intrauterinos tem os seguintes benefícios:

- São fáceis de usar: uma vez inserido, a paciente não tem que fazer mais nada para evitar gravidez.

- Não interfere com a atividade sexual nem com a rotina diária. É possível usar tampão com o DIU.

- O DIU pode ser inserido imediatamento após abortamento ou parto e ainda pode ser usado durante a amamentação.

- Quase todas as mulheres podem usar o DIU pois exitem poucas contraindicações.

- Se a paciente desejar engravidar ou quiser parar de usar o DIU, ele pode ser removido em qualquer momento.

- Como todos os métodos contraceptivos, o DIU também não afeta a capacidade reprodutiva.

- Com o tempo, o DIU hormonal ajuda a diminuir a cólica e o sangramento menstrual.

- O DIU de cobre é muito eficiente como método contraceptivo de emergência.

Como o DIU é inserido?

O DIU pode ser  inserido em qualquer fase do ciclo, uma vez excluída a possibilidade de gravidez. Por isso, se a paciente já não estiver usando um método contraceptivo, o médico poderá solicitar um teste de gravidez. O procedimento de inserção do DIU é simples e rápido, mas requer exame médico prévio. É possível que no momento da colocação do DIU a paciente sinta algum desconforto: cerca de 50% das pacientes referem sentir pouca ou nenhuma dor. Caso a paciente sinta cólica, analgésicos comuns podem ser usados. 

O DIU altera o fluxo menstrual?

Quando se usa DIU, alterações no padrão menstrual são normais mas não são prejudiciais. Com o DIU de cobre,  algumas mulheres podem experimentar fluxos menstruais mais longos e fortes. Pode ainda haver algum sangramento leve entre as menstruações nos primeiros meses de uso. Mas o uso de analgésicos comuns costumam ser suficientes para alívio da dor e do sangramento.

  Com o Mirena, sangramento inesperado e escape são comuns nos primeiros 3 a 6 meses de uso. Esse quadro costuma se ajustar para um padrão leve de sangramento ou mesmo a ausência de menstruação, o que vai levar à diminuição de cólicas menstruais. Por isso, o DIU hormonal e muito usado no tratamento de pacientes que necessitam de controle de fluxos menstruais intensos com cólicas fortes.

Quais são os possíveis riscos no uso de DIU?

O DIU é um método seguro e altamente efetivo de contracepção com elevada aceitação. Complicações sérias são raras e problemas com o DIU, quando ocorrem, manifestam-se  pouco tempo depois de sua inserção. Em um pequeno número de pacientes, por exemplo, o DIU pode sair do útero. Embora seja um evento raro,  o risco de saída espontânea do DIU pode ser maior em adolescentes, mulheres com forte sangramento menstrual e mulheres que colocaram o DIU logo após o parto. Se o DIU sair, ele não será mais efetivo, mas a paciente poderá inserir um novo.

 

  Outro acontecimento raro ( 1 episódio em 1000 inserções) é a passagem do DIU através da parede do útero. Isso não representa um grande problema de saúde para a paciente, mas o DIU terá que ser removido por cirurgia. 

  Historicamente, a responsabilização por infecções uterinas tornou o DIU um método quase em desuso. Felizmente, um bom número de estudos bem-desenhados demonstrou que o comportamento sexual e a presença de doenças sexualmente transmissíveis (DST) são os verdadeiros fatores de risco para infecção intrauterina. Assim, a doença inflamatória pélvica (DIP) após inserção do DIU ocorre raramente. Isso porque o DIU não aumenta, por si só, o risco de DIP. Caso a paciente tenha risco de ter alguma DST, ela deve fazer exames de rastreio antes da inserção do DIU.

  Em síntese, embora o DIU seja excelente método contraceptivo, ele não previne DST. O DIU de cobre pode ser usado como método contraceptivo de emergência se for inserido até o 5°. dia pós sexo desprotegido. O Mirena não pode ser usado como método contraceptivo de emergência. Caso necessite de contracepção de emergência, a paciente deve entrar em contato com seu médico ou farmacêutico para orientação e conduta. 

O que é implante contraceptivo? Continue lendo